O plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão rejeitou o requerimento do deputado Edilázo Júnior pedindo abertura e procedimento, por crime de responsabilidade, contra o secretário estadual de Infraestrutura, Clayton Noleto.
A alegação é de Ediázio era de que teoricamente Noleto havia cometido crime de responsabilidade no envio da relação dos municípios beneficiados pelo “Programa Mais Asfalto” e o cronograma físico/financeiro das obras do programa. Ainda que contivesse algum equívoco na relação, não seria caso de crime de responsabilidade, mas apenas de pedido de retificação das informações.
O deputado Rogério Cafeteira lembrou que não existiu recusa em responder o questionamento enviado pela Assembleia. “Para mim não resta dúvidas que os secretários têm obrigação de responder aos questionamentos enviados por esta Casa. Mas aqui eu queria lembrar que houve não uma negativa da resposta. Houve realmente um atraso”, disse.
Por isso, o plenário, por ampla maioria, rejeitou o pedido. Apenas votaram a favor da abertura de processo de crime de responsabilidade os deputados Eduardo Braide (PMN), Alexandre Almeida (PSD), César Pires, (DEM), Edilázio Júnior (PV), Adriano Sarney (PV), Wellington do Curso (PP), Souza Neto (PROS).
Destaque para a composição de Alexandre Almeida (PSD) e Eduardo Braide (PMN) firmes como oposição. César Pires votou por uma razão circunstancial e Andrea Murad não estava presente.

0 comments so far,add yours